Energia solar: uma alternativa econômica e ecológica

O Brasil é um dos países mais recomendados para a instalação de sistemas de energia solar

Nos dias de hoje a busca por alternativas de geração ou uso de energia ecologicamente corretas é crescente. Lâmpadas que consomem menos, como as de LED, vêm encontrando um espaço cada vez maior no mercado justamente porque os consumidores estão mais interessados em gerar economia aliada às chamadas tecnologias limpas.

Outro exemplo é a energia solar, que teve seu início em 1897, com o engenheiro estadunidense Frank Shuman, que construiu um motor de energia solar como demonstração. Ele funcionava ao refletir a energia do sol para caixas quadradas cheias de éter, que possui um ponto de ebulição mais baixo do que o da água. O equipamento possuía tubulações pretas alimentadas por um motor a vapor. Anos depois, a primeira estação de energia térmica solar do mundo foi construída em Maadi, no Egito, entre 1912 e 1913.

Essa fonte de energia pode ser aproveitada de forma fotovoltaica ou térmica, para gerar energia elétrica e para esquentar aparelhos específicos, respectivamente.

Como funciona

A energia solar é eletromagnética e tem como fonte o Sol, como já diz o nome. A captação pode ser feita de diversas formas, como a partir de painéis fotovoltaicos, usinas heliotérmicas e aquecedores solares.

Energia heliotérmica

Nos sistemas heliotérmicos a irradiação é convertida em energia térmica e posteriormente em energia elétrica. Isso funciona porque os equipamentos coletores captam a radiação solar e a convertem em calor, transferindo este para um fluido – que pode ser gasoso, líquido ou oleoso, no geral. Os coletores têm uma superfície refletora, que direciona a radiação direta a um foco localizado no receptor. Quando o calor é absorvido, o fluido escoa pelo receptor.

Energia fotovoltaica

Na energia fotovoltaica a radiação solar é transformada direto em energia elétrica. Células fotovoltaicas são feitas a partir de materiais semicondutores e quando essa célula é exposta à luz parte dos elétrons do material iluminado absorve fótons – partículas de energia presentes na luz solar.

Os elétrons livres são transportados pelo semicondutor até serem puxados por um campo elétrico, que é formado na área de junção dos materiais. Os elétrons livres são levados para fora das células de energia solar e ficam disponíveis na forma de energia elétrica.

Vantagens

A fonte de energia solar é considerada inesgotável e renovável. Além disso, ao contrário dos combustíveis fósseis, o processo de geração de energia solar não emite dióxido de enxofre, óxidos de nitrogênio e dióxido de carbono, gases poluentes e com efeitos nocivos à saúde humana, além de contribuírem para o aquecimento global.

Os sistemas instalados em residências oferecem um retorno financeiro ótimo, visto que toda a energia consumida em casa passa a vir do sistema. É possível economizar até 95% na conta de energia elétrica, baixando substancialmente seu custo. Outra vantagem, mais voltada para o lado comercial, é que o sistema fotovoltaico residencial valoriza o imóvel imediatamente após a instalação.

No Brasil a energia solar é amplamente recomendada e justificada pelo potencial do país, que possui grandes áreas com radiação solar incidente e também localização próxima à linha do Equador. As terras tupiniquins recebem uma taxa de insolação superior a 3 mil horas por ano. Trata-se do país com a maior taxa de irradiação solar no mundo.

Até dezembro de 2018 o setor de energia solar no Brasil possuía 48.613 sistemas fotovoltaicos instalados. Segundo previsões, é possível que até 2024 o país tenha mais de 880 mil sistemas de energia solar instalados por todo o território nacional.

 

E você? Já pensou em instalar um sistema de geração de energia na sua casa?

Continue acompanhando o blog da CGL para mais novidades sobre o mundo da construção e inovações tecnológicas para residências.

Compartilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on email

Outros Posts